Como a Royal Canadian Mead está ajudando a polinização e deixando os parques de Toronto mais bonitos?

Como a Royal Canadian Mead está ajudando a polinização e deixando os parques de Toronto mais bonitos?

Como a Royal Canadian Mead está ajudando a polinização e deixando os parques de Toronto mais bonitos? Benjamin Leszcz e Mike Mills deixaram seus empregos em empresas de comunicação para entrar na sidra natural, que os levou a outra bebida intrigante: o hidromel. “Estávamos vagamente cientes do hidromel, mas não tínhamos percebido que era a bebida alcoólica mais antiga do mundo e a mais verde”, diz Leszcz. “Nós perguntamos: por que ninguém está falando sobre o álcool mais sustentável do mundo?”

Como a Royal Canadian Mead está ajudando a polinização e deixando os parques de Toronto mais bonitos? Amigos fundam hidromelaria

Para manter a conversa, eles começaram a Royal Canadian Mead (RCM). “O hidromel é super-sustentável”, diz Leszcz, “porque sua base – mel – não exige uma pegada agrícola da mesma forma que a cevada ou a uva, para cerveja e vinho”. Isso explica como os arqueólogos descobriram que o hidromel é anterior a essas bebidas. “É baseado em um subproduto de inseto, não um produto agrícola”, acrescenta Leszcz.

Sustentabilidade

Além disso, o hidromel é a única bebida alcoólica que pode ser considerada regenerativa. “Cada lata de RCM contribui para a polinização de 185.000 flores silvestres”, diz Leszcz. “Quando você apoia a economia das abelhas, você apoia a economia da natureza – uma economia que todos sabemos que precisa de um grande estímulo.”

A dupla queria fazer ainda mais por nossos amiguinhos agitados e sitiados, então eles se uniram à Pollinator Partnership Canada para criar o programa Patio Pollinator, trabalhando com Jaime McCuaig de Gunnar e o Toronto Flower Market para instalar caixas de abelhas em pátios de restaurantes e bares e enchendo-os com plantas amigáveis aos polinizadores, como coreopsis, serralha, agastache, lantana, flor de endro, erva-doce de bronze, mil-folhas, sálvia e calêndula, além de elementos texturais como gramíneas, folha de hortelã e capuchinha.

Cidade viva

“As flores dão vida à cidade”, diz Natasa Kajganic, fundadora do Toronto Flower Market. “Eles mudam a paisagem urbana – nossas calçadas, fachadas de lojas, pátios. Tudo.”

Eles também são cruciais para nossos amigos polinizadores, de acordo com a diretora da Pollinator Partnership Canada, Vicki Wojcik. “Com 85 por cento de todas as plantas com flores lá fora e um terço de nossos alimentos precisando de polinizadores, eles são um dos serviços ecossistêmicos mais vitais que existem”, diz ela. “Nossas vidas seriam muito diferentes se os polinizadores desaparecessem. Nossas paisagens seriam diferentes e nossas dietas seriam milho, trigo e arroz: sem frutas.”

Ao longo do verão, as caixas ficaram selvagens, embelezando a Fresh City on Bay, o Dock Ellis, o Imperial Pub, o The Ballroom, o Sakai Bar, o Grape Crush, o Venice Beach Bar e o Peter Pan Bistro.

Reencontros

O maior desafio que os polinizadores enfrentam é a perda de habitat, então, de acordo com Leszcz, a instalação desses jardins realmente muda tudo. “Uma rápida visita a qualquer um deles confirma isso”, diz ele. “Eles estão totalmente vivos com polinizadores de todos os tipos, de abelhas a borboletas – até mesmo alguns beija-flores! Meu amigo estava saboreando uma lata de Garden Party no pátio do Venice Beach Bar em Dundas West quando uma borboleta monarca pousou em seu ombro. Ele ficou lá por uns bons 15 minutos, como um papagaio no ombro de um pirata. Depois de uma rápida visita de volta ao jardim do polinizador, a borboleta voltou direto para o meu amigo e pousou em seu joelho. Foi um pequeno, mas memorável momento de deleite.”

Novos projetos

O programa vai até outubro, mas, mesmo ao longo do tempo, a sustentabilidade é fundamental. “Estamos redirecionando todos os aspectos do projeto”, diz Leszcz, “trazendo as caixas de abelhas, solo e plantas perenes para nossa propriedade no Condado de Prince Edward, onde estamos construindo uma unidade de produção e uma sala de degustação. Lá, as caixas de abelhas abrigarão colmeias para apoiar a produção da Royal Canadian Mead. “Foi muito bom participar de um projeto com longevidade”, diz McCuaig sobre o programa Patio Pollinator. “É bom poder ver os componentes deste projeto contribuindo para os ecossistemas muito além desta temporada.”

Apoio e continuidade

A Royal Canadian Mead também tem conversado com parceiros em potencial em outras cidades. “Ficaremos emocionados com isso”, disse Leszcz. “Quanto mais jardins polinizadores houver, melhor será para os nossos ecossistemas urbanos, por isso encorajamos – não, imploramos! – outras empresas instalem jardins polinizadores próprios. Se outra empresa ligada à natureza estivesse lendo isso, diríamos: Por favor, roube nossa ideia! Todos nós ganharemos se você fizer isso.”

Autor: Briony Smith

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://www.thestar.com/life/together/people/2021/09/12/pollen-their-weight-how-the-guys-behind-royal-canadian-mead-are-doing-their-part-to-help-out-our-struggling-pollinators-and-beautifying-torontos-patios-in-the-process.html?fbclid=IwAR2d8X76SSKlitrXSS2g0ZKVXnAtAvV-ks6QBJiMy5rtucq1kCWTlqFcNik

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *