Como o hidromel está criando um burburinho no mundo cervejeiro

Como o hidromel está criando um burburinho no mundo cervejeiro

Como o hidromel está criando um burburinho no mundo cervejeiro. Nos últimos anos, os EUA registraram um grande aumento na abertura de hidromelarias, de apenas 30 em 2003 para 300 e contando em 2016.

A American Mead Makers Association realiza uma conferência de dois dias anualmente em Boulder, Colorado. A cada ano, atrai uma multidão maior de fãs de hidromel e mazers (fabricantes de hidromel) com a Mazer Cup realizada no terceiro dia. É uma competição para os fabricantes de hidromel submeterem seus hidromel e vencerem, com o objetivo final de que “o hidromel seja restaurado ao seu lugar de direito como bebida principal. ”

Kinsale Mead, a primeira nova hidromelaria da Irlanda em quase 200 anos, conquistou o ouro na Mazer Cup com o seu Atlantic Dry Mead, o que me deu a desculpa perfeita para visitar sua bela hidromelaria e aprender tudo sobre como eles criam suas bebidas premiadas.

História

O hidromel era popular entre os vikings, maias, egípcios, gregos e romanos. Te’j é um tipo de hidromel agridoce da Etiópia, que pode ser rastreado até o século IV, e ainda é feito hoje. O hidromel foi associado com a imortalidade e poderes sobrenaturais, muitas vezes caracterizando em cerimônias gregas, devido ao seu simbolismo e a magia que representava.

Na Inglaterra, o hidromel era visto como medicinal, com uma potente infusão de ervas no doce hidromel. Estes tipos de ervas, são chamadas Metheglin, derivadas da palavra galesa para medicina. O mel usado determinou o sabor do hidromel. O hidromel tradicional geralmente usa um mel suave, como flor de laranjeira, acácia ou trevo. Os hidromeis mais encorpados e temperados resultam de flores silvestres, amora ou méis de trigo sarraceno.

Mistura de Frutas

O hidromel vem em estilos secos, doces, still ou espumantes. Você também pode adicionar bagas, como framboesas ou morangos para criar um melomel. Os hidromeis à base de maçã são conhecidos como cyser, enquanto o braggot é um hidromel que foi preparado com lúpulo e cevada.

Kate e Denis Dempsey fundaram a Kinsale Mead em 2017. Sua loja de conveniência fica no coração de Kinsale, em Co Cork, e recebe visitantes de todo o mundo para passeios e degustações.

Kate me faz um tour, conversando sobre cada etapa do processo de produção. Não há mel irlandês suficiente para produzir hidromel em escala comercial, embora eles estejam trabalhando em lotes de edição limitada usando méis locais.

O mel de laranjeira, cru e não pasteurizado é sublime. Ele é misturado com água morna e bombeado lentamente para os modernos tanques alemães de fermentação em aço inoxidável, com controles essenciais de temperatura.

Frutas congeladas

O aço inoxidável é mais seguro do que os barris de madeira nesta escala de produção. Para o hidromel vermelho, frutas congeladas em sacos (grain bags) são adicionadas ao tanque, antes que a água morna seja derramada. À medida que a fruta degela, sobe ao topo e liberta todo o seu precioso sumo, misturando com a água do mel. A temperatura é mantida no intervalo correto para manter as leveduras felizes e a levedura é alimentada com nutrientes.

Mural em Kinsale Mead pelo artista local Fiona Boniwell Mural em Kinsale Mead pela artista local Fiona Boniwell

Mural em Kinsale Mead pelo artista local Fiona Boniwell Mural em Kinsale Mead pela artista local Fiona Boniwell

Em seguida, o hidromel é desgaseificado para remover o gás. Quando chega a 12% de álcool, a temperatura é baixada e todo o tanque é envolto em plástico bolha e a levedura fica dormente. À medida que a levedura “flocula” – por meio do qual quaisquer partículas ou sedimentos se aglutinam e se depositam no fundo do tanque, o hidromel é trasfegado.

Engarrafamento

Então é hora de engarrafar. Um gás inerte é adicionado para impedir a fermentação adicional quando o hidromel é engarrafado, arrolhado e etiquetado, tudo feito à mão.

Kate aprendeu a fazer hidromel vendo a casa do pai quando era pequena, conversando com outros fabricantes de hidromel e fazendo hidromel. A comunidade de produtores de hidromel apoia muito um ao outro.

Em seguida, provamos o hidromel. O Atlantic Dry parece um Sauvignon Blanc leve, mas tem mel de flor de laranjeira, notas florais e cítricas com um leve toque de amêndoa do que as abelhas forrageiam. Há um sabor de erva-doce, quase anis, à base de ervas. Deve ser servido gelado, misturado com uma água tônica neutra ou por conta própria sobre o gelo. O hidromel Atlantic Dry é ideal acompanhado de amêndoas torradas, azeitonas ou frutos do mar. Também é ótimo para usar em coquetéis.

Cerejas escuras

O Wild Red Mead é delicioso servido à temperatura ambiente. Usa groselhas negras de Wexford de Jeffares em Wexford e cerejas escuras. É ideal com carnes gordas, queijo forte e pratos salgados.

É um produto natural e sustentável, feito com ingredientes puros. O interesse contínuo das pessoas que fabricam cerveja e destilação trouxe o hidromel de volta ao centro das atenções, mas é improvável que tenha um aumento tão grande na popularidade quanto os gins artesanais, de acordo com Susan Boyle da Two Sisters Brewing. Simplesmente porque o mel é caro e não há o suficiente para abastecer um boom de hidromel. Susan e sua irmã Judith fazem uma cerveja que tem um aceno especial para o hidromel. A Brigid’s Ale usa seu próprio mel com cevada e água locais. Uma bela cerveja para desfrutar com queijo ou nozes.

Autor: Lilly Higgins

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://www.irishtimes.com/life-and-style/food-and-drink/how-mead-is-creating-a-buzz-in-the-world-of-brewing-1.3892087

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *