Conheça mais sobre o hidromel. O antigo vinho do mel que é a nova onda do século XXI

Conheça mais sobre o hidromel. O antigo vinho do mel que é a nova onda do século XXI

Conheça mais sobre o hidromel. O antigo vinho do mel que é a nova onda do século XXI: Eu aprendi sobre hidromel no ensino médio, mas foi apenas por reputação: o salão de hidromel em “Beowulf”, onde o rei dinamarquês Hrothgar e seu povo bebiam copos e copos de hidromel para celebrar – até Grendel aparecer e arruinar a festa.

Outros podem ter percebido isso recentemente através de Game of Thrones. Mas as menções textuais deste vinho de mel remontam à Grécia antiga, e ainda antes de 1500 a.C. na Índia, enquanto artefatos de cerâmica de 9.000 anos na China mostram evidências de mel fermentado.

“Basicamente, o hidromel é mel misturado com água e fermento”, disse o fabricante de hidromel Jon Hamilton, da White Winter Winery em Iron River, Wisconsin. Para Hamilton, o mel comercial está na família há gerações.

Legado de família

“Meu pai tinha uma colméia no quintal de Minneapolis, mas ele nunca teve abelhas por medo de ser processado”, disse ele. Mas seus tios parariam caminhões por latas de cinco litros de mel. “Eu cresci mastigando um favo de mel e até fiz um trabalho de pesquisa sobre o mel na oitava série.” (Ele ainda o tem!)

Logo após a faculdade, Hamilton começou a fazer cerveja caseira e, alguns anos depois, mudou-se para o hidromel. Ele tinha acesso ao mel abundante, mas procurava agregar valor ao trabalho das abelhas. “Por que não hidromel?”, Pensei. Parecia que ninguém mais está fazendo isso.

Conheça mais sobre o hidromel: Proprietário da White Winter Winnery

Jon Hamilton, da White Winter Winery. (Cortesia de White Winter Winery)

Um movimento crescente

Em meados da década de 90, Jon e sua esposa Kim partiram de um extremo a outro do país, procurando por hidromelarias para ver como estavam fazendo negócios com isso. “Havia apenas 22 em todos os Estados Unidos na época”, disse ele.

O casal abriu a White Winter Winery no norte de Wisconsin em 1996, mas mesmo sete anos depois ainda havia apenas 30 hidromelarias no país. Mas nos últimos anos, isso cresceu rapidamente.

De acordo com Vicky Rowe, diretora executiva da American Mead Makers Association e fundadora do GotMead.com, mais de 400 hidromelarias estão operando, enquanto outros 170 aguardam a obtenção das permissões e licenças necessárias.

Rowe credita o repentino interesse, em parte, por menções a filmes, mas “a maior motivação que observamos são de pessoas menores de 40 anos, que estão se movimentando em grande parte. Eles não estão apenas bebendo; eles estão começando suas próprias hidromelarias.”

Uma opção a cerveja

É uma alternativa sem glúten à cerveja e, como Rowe aponta, também é uma bebida artesanal mais ecológica: não usa grandes quantidades de água que são necessárias para as uvas, e o aumento da demanda por mel apoia os apicultores e, em particular, por sua vez, a população de abelhas.

Conheça mais sobre o hidromel: Jon (R) e Kim Hamilton, da White Winter Winery

Jon (R) e Kim Hamilton, da White Winter Winery. (Cortesia de White Winter Winery)

O mundo do hidromel

O hidromel sempre foi produzido em uma ampla variedade de estilos, mas seu ressurgimento no século 21 é muito parecido com o cenário da cerveja artesanal: os fabricantes de hidromel estão explorando os limites.

Tradicionalmente, o hidromel é uma bebida doce, mas também existem opções secas e semi-doces. O teor alcoólico comum é semelhante à maioria dos vinhos, algo entre 12 e 15%.

Os hidromeis mais fortes superam os 20% ABV, enquanto a tendência mais recente é uma sugestão da indústria de cerveja artesanal: Session Mead. Com um teor de álcool inferior a oito por cento, esses hidromeis amaciados podem ser consumidos em maiores quantidades de uma só vez. Rowe gosta de chamá-lo de “hidromel de praia”, pois você pode pegar um pacote de seis litros e levá-lo à praia ou a um piquenique.

Fiel a sua especialidade

“Gostamos de manter a nossa um pouco mais tradicional, pelo menos para os estilos de vinho”, disse Hamilton. Mas isso não o impediu de explorar. Ele fortificou seu hidromel de groselha preta com um eau de vie – um destilado de sua autoria – e envelheceu a mistura em lascas de carvalho, para criar um hidromel mais potente, em sabor e complexidade.

Ele também faz um cyser, uma mistura de sidra local e mel.

Conheça mais sobre o hidromel: Black Harbor, um hidromel de sobremesa de groselha

Black Harbor, um hidromel de sobremesa de groselha negra feito no estilo vinho do porto, da White Wintery Winery. (Kevin Revolinski)

Outras variações de hidromel incluem melomel, hidromel fermentado com frutas; metheglin, um hidromel temperado ou medicinal; e pyment, uma mistura de hidromel e uvas. Os restaurantes etíopes geralmente oferecem Tej tradicional, às vezes feito em casa, um vinho de mel com um ingrediente amargo, as folhas e os galhos de gesho, uma espécie de espinheiro.

Variações e experimentações

Alguns fabricantes modernos de hidromel também adicionam variedades de lúpulo, do tipo encontrado na cerveja. Isso pode parecer um cruzamento inovador, mas o relacionamento de hidromel com cerveja remonta séculos: veja brackett, ou braggot, “um híbrido de hidromel e ale feito com mel e cevada maltada”, disse Hamilton. “Fomos um dos primeiros nos Estados Unidos a fazer braggot”, disse ele; A versão do White Winter ganhou uma medalha de prata na World Beer Cup em 2002, na categoria Specialty Honey Lagers ou Ales.

Você pode até encontrar hidromel carbonatado. A Heidrun Meadery, na Califórnia, produz uma variedade de espumantes, e a B. Nektar do Michigan oferece um pyment de morango, feito com uvas, morangos, mel, uvas Chardonnay e Gewurztraminer.

A Superstition Meadery, no Arizona, passou a envelhecer os hidromeis em novos barris de carvalho e barris de bourbon reaproveitados.

Sutileza e simplicidade

Para Hamilton, fazer hidromel é sobre sutileza; ele não quer que nenhum sabor se destaque. “Buscamos equilíbrio”, disse ele, e prefere “deixar os sabores brincarem entre si, levando as pessoas a pensar no que estão bebendo e saboreando.” Ainda assim, ele reconhece o humor ocasional de provar algo ousadamente diferente. “Há um lugar para tudo- ele acrescentou com uma risada.

Comparado à popularidade da cerveja artesanal, o próprio hidromel ainda é “algo diferente” para muitos. Mas com nove mil anos de história por trás e um apaixonado movimento artesanal moderno a bordo, agora pode ser um bom momento para seguir para o seu salão de hidromel local, Beowulf.

Conheça mais sobre o hidromel: A variedade da White Winter

A variedade de hidromel da White Winter Winery. (Cortesia de White Winter Winery)

Autor: Kevin Revolinski

Tradução: Alexandre Augusto Peligrini

Fonte:https://www.theepochtimes.com/meet-mead-the-ancient-honey-wine-making-a-21st-century-comeback_3196357.html?fbclid=IwAR1EugG5CAeeB8yR_NhtRpm-lgsIZ-iXomMPbwwnNutM00sHVAv3NcHLxek

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *