Índia desenvolve gosto por bebidas artesanais

Índia desenvolve gosto por bebidas artesanais

A primeira vez que ouvi falar do hidromel foi na escola, enquanto nossa classe lia o poema medieval Beowulf, um épico sobre um guerreiro escandinavo do século VI. Aprendemos que o hidromel era uma bebida alcoólica feita de mel fermentado, mas que a bebida básica de outrora havia praticamente desaparecido, suplantado por cervejas e vinhos de uva.

Por isso, fiquei surpreso ao entrar recentemente em uma mercearia em Goa e descobrir garrafas de hidromel alinhadas na prateleira do resfriador. A bebida, com 6,5 por cento de teor de álcool, veio da incipiente Moonshine Meadery, fundada por dois engenheiros mecânicos.

E eu os provei. Hidromel tradicional e hidromel de sidra de maçã eram um pouco doces para o meu paladar, embora combinassem com comida indiana apimentada. O hidromel de café era um choque estranho de amargo e doce. Mas caro leitor, o hidromel de goiaba e pimenta era sublime – menos doce, com tons de goiaba e um punch de pimenta.

Os fundadores da Moonshine, amigos de infância Nitin Vishwas e Rohan Rehani, ambos de 36 anos, começaram a fazer hidromel em uma cozinha para uma cotovia em 2014, depois de ler sobre isso em uma revista de bordo na Europa. Quando o experimento deles se tornou popular entre os amigos, Rehani em 2016 largou seu emprego de engenheiro para comercializar seu hobby. O Sr. Vishwas seguiu o exemplo, deixando seu emprego na indústria farmacêutica em 2018, quando as vendas começaram. Eles agora vendem cerca de 2.000 caixas de 24 garrafas de hidromel por mês, que esperam triplicar nos próximos 18 meses.

“Foi totalmente movido pela paixão”, diz Rehani. “O plano não era criar um negócio a partir disso.” Mas, uma vez que as vendas começaram, eles lutaram para atender à demanda. “Foi como, cara, estamos diante de uma oportunidade de negócio maior do que pensávamos.”

Os fundadores da Moonshine fazem parte de uma tribo crescente de empresários indianos que rejeitam os empregos tradicionais para fazer e vender bebidas alcoólicas da Nova Era em uma terra mais conhecida por whisky-swillers e cerveja forte. De cervejas artesanais a gins artesanais e sidra de maçã ao estilo britânico, essas bebidas inovadoras atendem a um mercado pequeno, mas crescente, de bebedores exigentes que buscam mais do que apenas um hit rápido ou produtos globais homogêneos.

Anand Virmani, o cofundador de 33 anos da Nao Spirits, que lançou o primeiro gim artesanal da Índia, Greater Than, em 2017, diz que as pessoas estão bebendo menos, “mas estão bebendo melhor”. Os vinhos feitos na Índia surgiram na década de 1990 como alternativas às caras garrafas estrangeiras com suas taxas de importação de 150 por cento. Mas como a produção de vinho requer terra para o cultivo da uva, uma grande barreira à entrada, bebidas fermentadas ou destiladas são mais fáceis de produzir.

Sid Sheth, 37, um engenheiro químico que trabalhou na L’Oréal, Amazon e em uma empresa familiar de plásticos, lançou sua própria sidra de maçã Thirsty Fox na Índia em novembro passado, depois de descobrir sidras em Boston. “As sidras pareciam algo mais acessível e fácil de envolver como uma bebida e um conceito”, disse Sheth, que investiu quase US $ 2 milhões na start-up. “O maior desafio para nós é que as pessoas na Índia ainda confundem sidra de maçã com vinagre de maçã.”

Navegar pelos regulamentos labirínticos de bebidas alcoólicas da Índia não é para os fracos. Moonshine esperou um ano e meio por uma licença para iniciar a produção em Maharashtra; os reguladores locais nunca tinham ouvido falar do hidromel. Cada estado indiano tem diferentes regras, requisitos de rotulagem e pesadas taxas de licença para vender bebidas, tornando difícil – e caro – para as start-ups distribuírem seus produtos amplamente. O infeliz resultado é que bebidas inovadoras estão disponíveis em alguns lugares, mas não em outros.

“Não é a indústria mais fácil de entrar”, diz o Sr. Virmani, que trabalhou para empresas estrangeiras de destilarias antes de abrir sua própria destilaria em Goa. O gim Greater Than está disponível em seis estados, mas seu gim Hapusa, feito com vegetais indianos, é vendido em apenas dois.

“Não podemos simplesmente produzir uma garrafa de gim e vendê-la no estado que quisermos”, diz Virmani. “Nós sabíamos que seria difícil, mas não sabíamos o quão difícil.”

Mesmo assim, as start-ups com produtos que agradam às multidões estão agora levantando capital para marketing e distribuição, aumentando as esperanças de que essas bebidas inovadoras se tornem mais amplamente disponíveis. Embora o momento preciso dependa dos esforços da Índia para controlar a pandemia do coronavírus, Moonshine espera que o hidromel – incluindo a goiaba com pimenta – esteja disponível em Delhi no próximo ano. Eu vou beber a isso.

Autor: Amy Kazmin

Tradução: Alexandre Augusto Peligrini

Fonte: https://www.ft.com/content/d5f687c6-fa6b-4cdd-bf0f-62c390feb8d0?fbclid=IwAR2Agjiu8iy1ZPKheEcE3zp15q0ifjP35qEuu3yGMqNVWJQEU2Pe2WBxwhk

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *