O que há por trás do barulho do hidromel?

O que há por trás do barulho do hidromel?

O que há por trás do barulho do hidromel? Sentado a uma mesa dentro da sala de degustação do The Hive, Blacksnake Meadery, assisto enquanto o co-proprietário Steve Villers derrama um elixir de ouro chamado Sweet Virginia em um copo. Quando tomo um gole, fico agradavelmente surpreendido por seu aroma floral e acabamento levemente herbal.

“Isso é hidromel?” Eu penso comigo mesmo.

Está muito longe do que se pode associar ao hidromel: vikings erguendo canecas de cerveja, do salão de hidromel de Beowulf ou Hagrid pedindo uma rodada no Three Broomsticks de Harry Potter. O hidromel, é a bebida fermentada mais antiga do mundo, mas graças a um interesse renovado na fabricação de hidromel, ele não é mais uma bebida do passado. (O fato de ser sem glúten também é um benefício para sua crescente popularidade.)

Crescimento continuo

De acordo com a American Mead Makers Association, o número de hidromelarias comerciais nos EUA aumentou de 30 em 2003 para 200 em 2013 e quase 300 no início de 2016. Produtores como Blacksnake Meadery, que Villers fundou em Dugspur com sua esposa Joanne em 2006, e Atheling Meadworks, estabelecido por Stephen Ausband em 2019, está popularizando o hidromel moderno aqui em Roanoke.

“As pessoas ouvem ‘mel’ e pensam que não gostam porque é doce”, diz Villers. “Há muita variedade; é algo para todos. É tão diverso quanto as pessoas que fazem isso.”

Existem cerca de uma dúzia de estilos diferentes de hidromel, variando em doçura, acabamento e teor alcoólico (variando de seis a 18%). Devido ao alto teor de açúcar do mel (cerca de 80%), ele não pode fermentar por conta própria, então os fabricantes de hidromel, chamados Mazers, diluem-no com água e adicionam fermento para fermentar como vinho.

Variedades

Os hidromeis secos, ou aqueles sem açúcar residual, exigem mais diluição, enquanto os hidromeis doces exigem menos diluição. Os hidromeis tradicionais são considerados semi-doces, incluindo a Sweet Virginia da Blacksnake. Outros estilos comuns incluem Melomeis, que são fabricados com frutas, como o Shield Maiden da Atheling Meadworks. Metheglins são criados com ervas e especiarias, como o Ginger Bee Brew da Blacksnake, feito com gengibre e limão cultivados na Virgínia.

Além do estilo de hidromel e da abordagem de cada Mazer, as características de um hidromel variam de acordo com o mel. O terroir do mel – informado por várias fontes de néctar, incluindo flores, frutas e ervas – fornece aromas e sabores diferenciados ao hidromel, da mesma forma que o terroir das uvas faz para o vinho.

Simples e complexo

“É surpreendente a complexidade que você pode obter no hidromel com ingredientes muito simples, devido à complexidade do mel”, diz Ausband. “Você pode usar a mesma receita, o mesmo tudo e a variação de mel dará uma enorme diferença no produto final.”

Os hidromeis de Atheling são feitos com mel de flor de framboesa, cujas qualidades florais brilhantes brilham especialmente na música Lyres, que se inclina para os cítricos. Atualmente, Ausband está fermentando um Pyment (um melomel fabricado com uvas) usando mel de flores silvestres da Virgínia. Em seguida, ele planeja produzir um hidromel de edição limitada usando mel de castanha italiana robusto e terroso.
O que há por trás do barulho do hidromel?

Autor: Layla Khoury-Hanold

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://theroanoker.com/dining/whats-the-buzz-on-mead/?fbclid=IwAR0v-TQ6V2gUV5nANdtcR_rpIXICGQd1emiUTBq0ia_n2mcchgpGWzGfVXE

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *