Uma nova escola de Meadmakers

Uma nova escola de Meadmakers

Uma nova escola de Meadmakers: Em cerca de uma década, o hidromel passou de fora do radar para os amantes da cerveja a uma tendência que chama a atenção, impulsionada por sabores ousados e críticas entusiasmadas.

Por que tanto barulho?

Qualquer pessoa que tenha verificado as classificações das principais cervejarias no Untappd ou no Ratebeer recentemente deve ter notado algo incomum: muitas das melhores cervejarias não são cervejarias. Eles são prados. No momento em que este livro foi escrito, os meadmakers eram quatro das cinco “cervejarias” mais bem cotadas do Untappd. Verificando as principais “cervejas” dos EUA na Ratebeer, 14 das 50 principais são atualmente hidroméis. (Curiosamente, cada um desses 14 é um melomel, ou seja, um hidromel frutado).

Então, do que se trata?

Em primeiro lugar, vamos dar o devido crédito à nova onda criativa de meadmakers – mais sobre eles abaixo – que encontraram um ponto de apoio e foram capazes de chamar a atenção merecida em meio à cacofonia de mais de 8.000 cervejarias na era da variedade louca. Enquanto isso, o número de hidromelarias comerciais também cresceu: de apenas 30 em 2003 para mais de 500 hoje, de acordo com a American Mead Makers Association.

Vicky Rowe, diretora executiva da associação, diz que esse número tende a crescer nos próximos dois anos: o grupo tem cerca de 200 membros registrados como “hidromelarias em planejamento”. (Outros 600 membros são produtores domésticos de hidromel).

Observadora privilegiada

Rowe tem observado a cena do hidromel por um tempo e a viu florescer. Ela gostava de hidromel em feiras medievais na década de 1980 e, em 1996, começou o que provavelmente é o site de hidromel mais antigo do mundo: gotmead.com. Ela diz que o site é “a coleção mais completa de informações sobre hidromel na Internet”. Ela viu a cena crescer de um pequeno nicho para o que é hoje: uma tendência crescente que atrai um número cada vez maior de entusiastas – incluindo muitos amantes da cerveja.

Uma nova escola de Meadmakers: Meadmakers da nova geração

Da esquerda: Justin D’Aloisio serve na taberna do Misbeehavin em Valparaiso, Indiana; Tony Qualls, fundador da Manic Meadery; um hidromel de boysenberry em Manic passando por fermentação primária com a fruta, após a punção.

“Oh, é uma emoção”, diz Rowe. “Tenho comprado, examinado, aprendido e feito hidromel – e feito relatórios sobre isso – desde 1996. Naquela época, havia cerca de 30, 35 hidromelarias no país e poucas pessoas fazendo isso. Mas, curiosamente, a maior parte das pessoas que estão no mundo do hidromel agora também são cervejeiras.

Crossover entre mundos

“Nós somos meio que um crossover porque recebemos muitos cervejeiros”, diz ela. “E eu acho que parte disso vem do fato de que os cervejeiros são aventureiros. Eles estão dispostos a experimentar coisas novas e ter a mente aberta sobre coisas que ainda não verificaram.”

Ajuda que alguns dos novos hidroméis – ela menciona especificamente o Heart of Darkness de Schramm como um influente que tem elevado a barra. Os produtores de cerveja estão recebendo ideias uns dos outros e também do mundo da cerveja.

“Todas as novas pessoas que estão chegando, muitas delas são muito inovadoras e têm ótimas ideias”, diz Rowe. “E os ‘velhos’, se você quiser, que estiveram lá, mudaram de ideia – como a Rabbit’s Foot Meadery no norte da Califórnia. Eles estão em operação há mais de 20 anos. E você sabe, eles também fazem hidromel incrível.

Grupo coeso

Somos um grupo bastante favorável, como uma indústria. Essas pessoas têm muito conhecimento e compartilhamento de ideias dentro da comunidade comercial de hidromel e também em casa. Então, estamos firmes porque ainda não somos tão grandes. Não sei se isso vai mudar quando houver 5.000 hidromelarias, se chegarmos a esse ponto.

“Eu não sei, eu realmente não sinto que os novos caras sejam novatos, per se. Estou feliz que eles estejam lá. Eles estão cultivando coisas para nós.”

Força nas mídias sociais

Uma força por trás da tendência do novo hidromel tem sido a mídia social. Em uma plataforma como a Untappd, os avaliadores tendem a recompensar o sabor ousado (se não bebível), e muitos desses hidroméis são bebidas fortes e intensas, ideais para sobremesas, drinques de noite ou ocasiões especiais. Frequentemente coloridos e visualmente marcantes, eles também funcionaram bem em outras plataformas. “O Instagram é um viveiro de meadmakers”, diz Rowe. “Há uma tonelada de atividade de hidromel lá.”

Outro elemento da tendência é facilmente esquecido: em muitos casos, os produtores de hidromel podem enviar suas garrafas diretamente à sua porta. A maioria dos estados tem leis que tornam mais fácil para as vinícolas enviar seus produtos diretamente aos consumidores. Em meio à colcha de retalhos de leis estaduais e um sistema de distribuição de três camadas entrincheirado, as cervejarias muitas vezes não têm essa opção.

Facilidades no mundo atual

Rowe cita uma empresa em particular que tornou o e-commerce mais fácil para pequenos estabelecimentos: VinoShipper. A plataforma torna relativamente simples para os produtores abrir uma loja online e se conectar com clientes em todo o país. “Dado o fato de que a maioria dos prados são bastante pequenos, é um grande bônus para eles – especialmente agora”, diz Rowe, referindo-se ao fechamento das salas de degustação devido à pandemia de COVID-19. “Portanto, esta é uma grande oportunidade para eles.”

Ele também coloca alguns desses cobiçados hidromeis ao alcance – mesmo quando sua loja de bebidas local (ainda) não ouviu falar deles.

Algumas estrelas em ascensão

Aqui está um resumo de alguns dos produtores entre este novo elenco de personagens, bem como um breve olhar sobre o que eles estão fazendo para deixar os bebedores animados. Observe que muitos dessas hidromelarias têm suas próprias salas de degustação, clubes de garrafas raras e lojas online que podem enviar hidromel para a maioria dos estados. Observe também que os hidroméis listados abaixo estão praticamente todos em algum lugar entre 12 a 18 por cento ABV.

Schramm’s

Lançado em 2013 em Ferndale, Michigan, o Schramm’s chamou atenção especial com seus ricos melomeiss, como Heart of Darkness, embalado com frutas cultivadas em sua própria fazenda: framboesas, groselhas pretas e cerejas Schaerbeek. The Statement é um melomel mais intensamente acariciado, enquanto Black Agnes equilibra um hidromel doce com cargas de groselha preta azeda. A noz-moscada atinge um tipo diferente de equilíbrio, como um metheglin – hidromel apimentado – cujo ingrediente de mesmo nome tem um longo histórico de compatibilidade com mel e doçura. Para mais informações sobre esta pradaria influente e inovadora, consulte “Produção de hidromel para cervejeiros”.

Superstition

Em Prescott, Arizona, Jen e Jeff Herbert têm uma missão clara e declarada: “reintroduzir para a humanidade a bebida fermentada mais antiga do mundo”. Fundada em 2012, a Superstition cresceu desde então e se tornou a maior “vinícola” do estado. A bebida que deixa as pessoas boquiabertas é o Berry White, feito com framboesa e chocolate branco. Existem variações desse tema, como Blackberry, Blueberry ou Strawberry White, ou o Grand Cru, uma mistura das quatro versões. Outro que interessa aos entusiastas da cerveja é o Samba, feito em colaboração com a Marble Brewing de Albuquerque, Novo México. Com 12 por cento ABV, ele recebe uma explosão brilhante de lúpulo de samba para um aroma e sabor de abacaxi.

Pips

Algumas das garrafas mais procuradas na tendência vêm deste pequeno produtor, fundado em 2016 em Beach Park, Illinois, ao norte de Chicago. De acordo com sua própria descrição, enquanto na maioria das vezes fazem bebidas para sobremesa, eles “estão dispostos a ultrapassar os limites às vezes e ultrapassar o equilíbrio para trazer sabores intensos e combinações únicas em [seus] produtos”. A demanda supera em muito a produção (e, como tal, eles se recusaram a ser entrevistados, por temer que a atenção tornasse ainda mais difícil atender seus clientes locais). Os que chamaram a atenção incluíram Blue Suede Shews, feito com mel de flor de laranjeira, mirtilos silvestres e cajus, e Banana Pancake, feita com bananas e “sabores naturais” que evocam panquecas – xarope de bordo e tudo.

Boneflower

Em produção desde 2018, a história de Boneflower seria familiar para muitos cervejeiros artesanais: dois amadores começam a fazer hidromel porque não conseguem o tipo de coisa que querem beber. Eles estão localizados em St. John, Indiana, um subúrbio distante de Chicago. Uma das queridinhas dos fãs é Slow Heavy Jam, um pyment feito de mel de flores silvestres e muita uva Concord. Outros favoritos dos fãs incluem Tripleberry, um melomel feito com amoras, mirtilos e framboesas, e o sazonal Holiday, feito com maçãs, cerejas, canela e baunilha.

Garagiste

Com sede em Tampa, Flórida, desde 2016, Garagiste lançou uma linha colorida de produtos. Os que chamam a atenção incluem várias variações de sabores de manteiga de amendoim e geléia, com vários nomes Goober ou alguma variação dos mesmos (por exemplo, Reboog). O mais recente é o Goobvee One, feito com maçã, uva, mirtilo, morango e outros sabores. Outro melomel que ilumina os olhos e o paladar é o Cilice, feito com groselhas, framboesas e cerejas, e envelhecido em aduelas de bourbon Four Roses. Ou para um despertar, considere o Blue Mountain, que obtém “uma quantidade absurda” de café jamaicano e tem uma variação de bourbon envelhecida em barril.

Maniac

Não muito longe de Boneflower, Manic fica em Crown Point, Indiana, outro subúrbio de Chicagoland. Fundada em 2017, seus notáveis incluem a rica Collusion (16 por cento ABV), produzida com groselha preta, framboesa preta, marionberries, baunilha e xarope de bordo. Outro é o Nordic Quad (17,5 por cento ABV), um metheglin de inspiração Viking temperado com zimbro, hibisco, coentro e roseira brava.

Misbeehavin’

Mais daquele novo viveiro de hidromel do noroeste de Indiana, este em produção desde 2016 em Valparaíso. Sua ampla variedade – dizem que liberam cerca de 48 hidroméis diferentes por ano – inclui uma variedade gelatinosa de melomeis, muitos envelhecidos em carvalho. Os favoritos locais incluem uma série de hidromeis com sabor PB e J chamados With a Baseball Bat, ou doce e suculenta Same Old Jam, obtendo várias frutas e sabores como baunilha, bordo ou chocolate branco.

Tipos de hidromel

O hidromel tem seu próprio tipo de vocabulário de estilo, e há algumas sobreposições. Aqui está uma breve explicação de alguns dos tipos mais comuns, embora haja muitas variações baseadas em várias tradições de fabricação de hidromel em todo o mundo.

Hidromel: bebida fermentada feita de mel e água, com uma ampla variedade de graduações alcoólicas. O mel deve ter pelo menos 51% dos açúcares fermentáveis.

Melomel: um hidromel frutado e, de longe, o tipo mais popular na nova onda de hidroméis artesanais.

Pyment: Um tipo de melomel feito com uvas.

Metheglin: um hidromel aromatizado com ervas e / ou especiarias.

Braggot: Um híbrido de cerveja-hidromel que pode incluir malte e / ou lúpulo.

Cyser: Um híbrido de sidra-hidromel que inclui suco de maçã fermentado.

Hydromel: uma palavra frequentemente usada para hidromel com baixo teor de álcool (ou seja, “água-mel”)

Autor: Joe Stange

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://beerandbrewing.com/meadmakers-of-the-new-school/?fbclid=IwAR3NG3T8GKStEyBqgpno9FfFz-VLNN4sR7z6Y6nU32GK-Nt6bEP3GMLQ0gw

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *