O mel se transforma em medalhas de ouro no Stolen Harvest Meadery

O mel se transforma em medalhas de ouro no Stolen Harvest Meadery

O mel se transforma em medalhas de ouro no Stolen Harvest Meadery de Alberta: Ao fazer hidroméis premiados em sua fazenda em Grovedale, Alta., Kristeva Dowling gosta de falar com suas leveduras.

Dowling não fala nada sobre o que discute com o fungo milagroso, mas deve estar funcionando.

Depois de lançar Stolen Harvest Meadery no início de 2020, ela conquistou três medalhas de ouro no World Mead Challenge de novembro passado em Chicago. Uma realização notável para alguém que só começou a experimentar a bebida alcoólica no dia de Natal de 2017. Talvez se algumas palavras encorajadoras murmurassem durante a fermentação não seria uma ideia tão maluca?

Maluquice ou inspiração?

“Ben Staley, do Restaurant Yarrow em Edmonton, me disse que há um enólogo específico na Espanha que leva seu bandolim para os campos de uva e canta para elas”, diz Dowling. Ela que possui e opera Stolen Harvest com a ajuda de seu marido, Eric Erme no pequeno vilarejo de Grovedale, ao sul de Grande Prairie. “Ele faz isso para que as uvas saibam de onde são. Eu disse a Ben que preciso conhecer aquele homem”, se diverte Dowling.

Criação de abelhas

Foi o desejo de entrar na apicultura em 2015 que deu início à série de eventos que levaram ao romance de Dowling com o hidromel, uma bebida milenar que combina fermento com mel e água e, ocasionalmente, outros ingredientes como frutas e especiarias. O primeiro ano deu a ela mel suficiente para cuidar das necessidades domésticas, mas foi no terceiro ano que ela tirou a sorte grande. Com centenas de quilos de mel inesperados em mãos, Dowling precisava pensar fora de panificação, cobertura de torradas e adoçante de chá.

“Eu devo ter pensado que poderia ser transformado em álcool”, diz Dowling, que também é dona de seu próprio negócio de massoterapia em Grande Prairie. “Então comecei a pesquisar.

Primeiro contato com o Hidromel

Foi o site da Sociedade para o Anacronismo Criativo que me trouxe ao mundo do hidromel. Achei que seria divertido e extravagante fazer do jeito que os vikings fizeram, derretendo neve no quintal para conseguir a água de que precisava.”

Aquele primeiro microlote de hidromel com infusão de baga Saskatoon foi um sucesso entre a família e os amigos. Dowling seguiu essa corrida inicial em 2019, trazendo amostras para uma competição amadora e celebração Viking em Okotoks chamada Horde at the Hive. Com pouca experiência, ela acabou ganhando o ouro em três categorias e o bronze em uma quarta, o apresentador disse a Dowling logo no início que ela poderia ficar no palco. Desnecessário dizer que isso foi um grande impulsionador da sua confiança.

O mel se transforma em medalhas de ouro no Stolen Harvest Meadery: Recorde de medalhas

Kristeva Dowling de Stolen Harvest Meadery ganhando quatro medalhas no Horde at the Hive in Okotoks em 2019.

“Quando fui convocado para a terceira medalha de ouro, alguém na multidão gritou: ‘Quero ir beber na sua casa’”, ri Dowling.

Divisor de águas

O World Mead Challenge de novembro selou o acordo. Stolen Harvest empatou em segundo lugar na competição internacional com seu Saskatoon Honey Wine, enquanto seu Bochet Honey Wine e Coffee Bochet Honey Wine pontuaram logo abaixo dela no top 10. Nessa época, Dowling estava um pouco mais acostumada com a aclamação, embora seu pai permaneceu surpreso.

“É engraçado”, diz ela com uma risada irônica. “Quando contei ao papai sobre a vitória, ele disse‘ como isso aconteceu? ’Quer dizer, não era como se eu fosse para a escola aprender a fazer isso, e não faço isso há 25 anos. Na verdade, agora ouço a voz da minha avó na minha cabeça, porque depois de obter meu mestrado em antropologia social, ela me disse que achava que eu deveria fazer algo com comida. Agora estou aqui, fazendo alguma coisa com comida”.

Em uma loja perto de você

As coisas progrediram rapidamente para Dowling e Erme desde a competição. Eles colocaram seu hidromel em algumas lojas de bebidas de Edmonton, incluindo Sherbrooke Liquor e Aligra, e estão procurando expandir para restaurantes como o Yarrow. Enquanto ainda experimentava pequenas quantidades de mel trazidas por amigos de todo o mundo, Dowling também se tornou um pouco obcecada em fazer hidromel tradicionais produzidos a partir do básico: mel local, fermento e água.

“É empolgante, mas também não acho que ficaria entediado com a mistura de sabores em potencial”, diz Dowling, que acaba de lançar um hidromel que incorpora pétalas de rosa selvagem como aromatizante. “Existem tantas opções, e meu diploma está me servindo de uma maneira diferente do que eu esperava. Aprendi sobre a coleta de caçadores estudando com povos indígenas no Canadá, Austrália e Nova Zelândia, e agora estou caçando e coletando coisas para colocar no meu hidromel.

A origem do nome

É parcialmente daí que vem o nome Stolen Harvest; é uma brincadeira com o fato de que estou roubando a colheita da terra para fazer meu hidromel.”

Dowling é rápida em notar que a terra ao redor de sua fazenda no norte de Alberta é tão importante para o hidromel que ela produz quanto quaisquer técnicas que ela possa usar.

“Quando se trata de hidromel, a ideia do terroir é muito importante porque as abelhas estão realmente trazendo o sabor da área de volta para a colmeia”, destaca Dowling. “O mel de flores silvestres da região em que moro é diferente do mel de flores silvestres que alguém faz a algumas centenas de quilômetros de distância ou em um país diferente. Na França, um apicultor pode obter mel de lavanda porque há campos de mel lá.”

Crescimento rápido

Stolen Harvest está decolando tão rapidamente que Dowling teve que alugar um local maior para sua empresa. Há muito ela está comprometida com a ideia de autossuficiência, uma ideia que ela explora em seu livro Chicken Poop for the Soul de 2011: um ano em busca da soberania alimentar, mas agora ela se vê navegando cuidadosamente no mundo do comércio localizado. Antes de colher frutas silvestres, ela agora está fazendo contatos com produtores locais de haxixe e frutas silvestres de Saskatoon, e depois de desistir de sua própria colméia no verão passado, ela está comprando mel de outros apicultores da região. Ela também está fazendo passeios de um dia para selecionar lojas de bebidas e restaurantes, lentamente construindo um círculo de negócios com os quais trabalhar.

Idealismo e propósito

“Gostaria de me alinhar com restaurantes que pensam em ser locais e sustentáveis e se preocupam com a origem de sua comida”, diz ela. “Somos um micro-hidromelaria. Não quero ser o Walmart do hidromel, quero construir relacionamentos na comunidade.”

Autor: Tom Murray

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://edmontonjournal.com/life/food/honey-flows-into-gold-medals-for-albertas-stolen-harvest-meadery

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *