Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu”

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu”

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu”: Enquanto as origens do hidromel remontam a pelo menos 20.000 anos à Etiópia pré-histórica, onde as abelhas selvagens faziam ninhos na copa das árvores, e ao amanhecer do Neolítico no norte da China há quase 10.000 anos, a bebida permanece um mistério relativo para o bebedor médio dos EUA. Muitos consumidores associam vagamente a bebida com a Europa medieval, se é que a conhecem.

Isso pode mudar, no entanto. De acordo com a American Mead Makers Association (AMMA), o número de hidromelarias comerciais nos EUA aumentou 650% desde 2003. E o grupo comercial afirma que mais de 200 novas hidromelarias planejam abrir nos próximos dois anos.

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu": Régua de delicias da Lost Cause

Um régua de degustação de hidromel da Lost Cause Merdery, San Diego, CA. Foto de Haley Hill

O Investment Weekly News informou que o mercado global de hidromel foi avaliado em mais de US $ 408 milhões em 2018 e está projetado para ultrapassar US $ 800 milhões em 2025.

Então, por que o hidromel demorou tanto?

As primeiras impressões dos consumidores podem fazer ou quebrar um negócio incipiente em qualquer indústria e, quando se trata de mel fermentado, é particularmente difícil superar a tendência de supor que todos os hidromeis são criados igualmente.

“É muito doce” ou “tem gosto de remédio” são reações grosseiras que irritam os produtores como pregos em um quadro-negro, porque encapsulam as barreiras que limitaram a evolução comercial do hidromel por milênios.

Felizmente, uma colônia de inovadores nos Estados Unidos está mudando essas percepções. Com técnicas e ingredientes artesanais e colaborações entre categorias e culturas, o renascimento do hidromel está em andamento.

Os vales centrais do Arizona produzem anualmente algumas das maiores flores silvestres do país, tornando o sudoeste um destino natural para os produtores de hidromel.

Potencial local
Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu": Hebert apresenta uma de suas criações

Jeff Hebert oferece uma de suas criações

“De onde vem o mel é o terroir do hidromel, e não há nada como o mel de flores silvestres do deserto no Arizona”, disse Carvin Wilson, 2019 National Mead Maker da AMMA. A região é o lar da Superstition Meadery, dirigida por Jeff e Jennifer Herbert. Os Herbert transformaram a paixão por bebidas artesanais em uma das maiores hidromelarias do mundo, além de um restaurante que oferece refeições combinadas com hidromel no centro de Phoenix.

“Quando fundamos a Superstition em 2012, havia apenas cerca de 150 produtores nacionais e não havia nenhuma organização da indústria nacional para representar nossos interesses”, diz Jeff. “Logo depois de lançarmos nossa startup, nos tornamos membros fundadores da AMMA e, nesse ínterim, o cenário de negócios passou por uma transformação incrível para mais de 600 hidromelarias nos Estados Unidos. ”

Atenção as tendências

A Superstition agora monitora os marcadores de fermentação, colabora com cervejeiros artesanais e possui uma gama diversificada de produtos. Duas das mais antigas hidromelarias do país são o B. Nektar e o Schramm de Michigan, ambos construídos no terroir de abundantes apiários do meio-oeste.

“Acho que o que mudou as coisas foi o crescimento e a evolução da indústria da cerveja artesanal”, diz Brad Dahlhofer, da B. Nektar, que produziu quase 200 receitas e atualmente é a maior hidromelaria dos EUA.

A estratégia da B. Nektar para comercializar estilos experimentais em quantidades escassas para bebedores curiosos se tornou o modelo para apresentar aos consumidores os perfis de sabor do hidromel.

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu": Produzindo

Jeff e Jen da Superstition Meadery, AZ. Foto cortesia de Superstition Meadery

Por exemplo, o Miel de Garde de B. Nektar é classificado como o hidromel nº 5 do mundo pela RateBeer.com na categoria “Outro”.

Processos únicos

É feito de mel de flor de laranjeira em um processo tradicional, mas é envelhecido por 18 meses em barris de carvalho como um vinho.

Schramm recentemente fez parceria com a Beer Kulture, uma organização sem fins lucrativos que anteriormente lançava cervejas em parceria com a Green Bench Brewing, para criar um hidromel de colaboração.

A AMMA, em colaboração com o Beer Judge Certification Program (BJCP), estabeleceu diretrizes de estilo para alimentar uma competição saudável em híbridos de hidromel emergentes.

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu": Direto da Fonte

Jeff coleta pequenas amostras diretamente através de um furo no barril. Foto cortesia de Superstition Meadery.

“As técnicas modernas de vinificação tornaram os hidroméis produzidos na última década provavelmente os melhores que o mundo já conheceu, e a variedade de hidroméis artesanais disponíveis é mais ampla do que em qualquer momento da história,” diz Jeff Herbert.

Familiaridade e singularidade

Chrissie Manion Zaerpoor, autora de The Art of Mead Tasting & Food Pairing, diz que a falta de familiaridade dos consumidores e as receitas limitadas atrofiaram o crescimento da indústria do hidromel até que The Complete Joy of Home Brewing de Charlie Papazian foi publicado em 1984. O livro lançou as carreiras de centenas de cervejeiros que revolucionaram a indústria de bebidas, especialmente o hidromel.

“Comecei minha jornada artesanal como cervejeiro caseiro e, como a maioria dos cervejeiros caseiros que experimentam fazer hidromel, fiquei intrigado depois de ler sobre isso no final dos livros de receitas de Charlie Papazian, que a maioria de nós experimentou”, diz Billy Beltz, proprietário da Lost Cause Meadery em San Diego. “O primeiro lote que fiz foi horrível, é claro, mas me apaixonei imediatamente pelo desafio e pela possibilidade do hidromel. ” Outros fabricantes de hidromel veem um potencial imenso para a categoria.

Bola da vez

“Atualmente, há uma tendência crescente nas indústrias americanas de bebidas artesanais de evoluir além dos rótulos tradicionais de cerveja, vinho, sidra etc. e romper parte da segmentação e dogma artificiais”, diz Billy Beltz, cofundador da San Diego’s Lost Cause, que é o hidromel mais condecorado por dois anos consecutivos na Mazer Cup, maior competição internacional de hidromel.

“O hidromel é a bola de demolição que acabará por abrir muito o mercado”, diz Beltz.

Produtores americanos estão fazendo o melhor hidromel “que o mundo já conheceu": Vai um doce ai?

O mel é o ingrediente que define o hidromel. Aqui, Jeff Herbert da Superstion Meadery experimenta o mel Arizona Cat Claw do alto deserto no lado nordeste do Monte Lemmon, no sul de AZ. Fotos cortesia de Superstition Meadery.

Muitos fabricantes também buscam colaborações interculturais. Rabbit’s Foot desenvolveu uma rede na Irlanda para produzir hidroméis 100% celtas. E o pesquisador Dr. Garth Cambray, da Makana Meadery na África do Sul, publicou recentemente uma dissertação sobre um processo inovador em que o mel não fermentado pode ser convertido em hidromel com 12% de álcool por volume (abv) em 24 horas.

Futuro

À medida que o hidromel atinge um ponto crítico na consciência do público, os consumidores determinarão como o artesanal é definido pelos produtores que eles apoiam. O hidromel deve servir para sabores familiares para alcançar ampla disponibilidade? Ou o foco deve ser desenvolver combinações únicas para celebrar as características locais?

A resposta a qualquer uma das estratégias, assim como o próprio processo de fermentação, resume-se ao controle de qualidade. Depois de fermentar por milênios, a Idade de Ouro do hidromel pode ter finalmente chegado. E os resultados certamente valeram a espera.

Autor: Nicholas D. Butler

Tradução: Alexandre A. Peligrini

Fonte: https://www.winemag.com/2021/04/07/american-mead-guide/?fbclid=IwAR3qem71UYTjlqahMwhqe9vfX-9kig72AKYZt-cyXyEeBX575GJ8CnMRudI

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *